segunda-feira, 25 de junho de 2012

Amazon Beer – Forest Pilsen e River Lager

Conforme prometido no post da Forest Bacuri, vamos falar das outras duas cervejas da Amazon Beer que experimentamos: a Forest Pilsen e a River Lager.

A Forest Pilsen é a cerveja "de trabalho" da Amazon. Aquela para tomar no dia a dia. É uma cerveja amarelo-clara, com pouca presença de álcool (3,5%), aroma de panificação e fermento, e com boa formação de espuma, embora nada persistente.

Assim como a Bacuri, a impressão que tivemos é a de que a Forest Pilsen é uma cerveja feita para agradar. Tudo é muito suave e talvez seja esse o problema... carece de alguma característica marcante, para que não fique sendo apenas mais do mesmo. Ainda assim, eu achei interessante e acho que ela cumpre muito bem o papel a que se propõe. Gostei mais da Bacuri, porque é mais aromatizada, algo que me encanta em uma cerveja, quando bem inserido.

Karla Andrade: Eu também não fui muito seduzida por essa cerveja... Achei ela sem sabor e bem "esquecível". O que o Gustavo fala em baixo da problemática da nomenclatura também me incomoda bastante, principalmente porque sou uma fã de carteirinha das pilsens originais. 

Já a River Lager tem uma coloração mais forte, dourada, e espuma com as mesmas características da Forest Pilsen. O aroma menos intenso que o da sua irmã, mas em que podemos perceber mais presença de lúpulo, um aroma herbal. O sabor é mais encorpado e com o amargor característico que o aroma de lúpulo anunciava. Também percebemos o álcool mais presente (4,8%) e ambos, o álcool e o amargor, bem inseridos. Apesar disso, o sabor é pouco persistente.

Nem precisa dizer que gostamos mais da River do que da Forest. E é engraçado, porque quase todos os comentários que li na web dizem que a River tem pouco lúpulo e malte pronunciado. Talvez o fato de a termos experimentado logo depois da Forest tenha nos dado essa impressão de mais lúpulo.

Karla Andrade: A River realmente foi bem mais interessante! E considero que o fato de termos degustado ela logo em seguida da Forest influenciou nessa percepção. Ela é uma cerveja para aqueles que, como eu, preferem um pouco mais de amargor em suas "cervejas de trabalho".

Enfim, acho extremamente válido termos uma cervejaria no norte do País, ocupada em produzir cervejas de qualidade. Precisa de ajustes? Sim, mas dentro da proposta de serem cervejas agradáveis (em todos os sentidos) ela acerta. E anunciam que a vida da Cerpinha não vai mais ser fácil...

A única ressalva que eu faço, que me chamou bastante a atenção, é com relação à nomenclatura. Chamar a Amazon Forest Pilsen de pilsen é a sacramentação da visão brasileira de que pilsen é uma cerveja fraca e (quase) sem gosto. Não sei se já é reconhecido um estilo pilsen brasileiro (o que justificaria e encerraria a questão) ou se realmente não adianta mais mudar essas coisas, mas acho que isso causa uma confusão desnecessária e atrapalha quando vamos apresentar uma pilsen de verdade para as pessoas, que esperam suavidade e tomam uma paulada de lúpulo.


Um comentário:

  1. E a Taperebá? Provaram? Uma pena que é bem mais cara que uma Hoegaarden Witbier.

    ResponderExcluir